fbpx

O QUE ESTÁ TE CRUCIFICANDO?

Marcos 8:34-38

34- Então ele chamou a multidão e os discípulos e disse: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.

35- Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará.

36- Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?
37- Ou, o que o homem poderia dar em troca de sua alma?

38- Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos”.

Presume-se que na crucificação foram usados três pregos: um para cada mão e outro nos dois pés apoiados um sobre o outro. Por isso vamos usa-los como ilustração para falar sobre esta crucificação do eu, o apóstolo Paulo dá um belo exemplo de como devemos seguir na nossa caminhada cristã, vamos ver o que ele falou em (Gálatas 2:20).

Gálatas 2.20

20- Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.


A doutrina da cruz é o Evangelho. Embora pareça algo vergonhoso (v.38) diante dos homens e uma loucura capaz de ser entendida apenas espiritualmente como vemos em (I Coríntios 1.18).

1 Coríntios 1:18

18- Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus.


Precisamos ‘pregar’ mais sobre a cruz, mas, para isso ficamos expostos a estes ‘pregos’ que nos ferem e nos prendem pendurados na cruz.

Vamos fazer uma reflexão a cerca desses três ‘pregos’ que nos prendem à cruz:


1º Prego – NEGAÇÃO: v.34 “negue-se a si mesmo”.

A primeira coisa que nos prende à cruz é a árdua tarefa de negar as vontades da nossa carne. Este negar a si mesmo é dizer não para as suas próprias vontades. Estamos acostumados a dizer não para as pessoas, mas não é fácil dizer não para o eu.

Experimente fazer isso: diante de uma vontade qualquer, diga a você mesmo que não vai fazer. Será uma imensa luta entre a carne e o espírito.

Marcos 14.38

38- Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca. “

Isso dói como uma martelada.

Quando resistimos ao pecado em prol da vontade de Deus, estamos crucificando nossa carne com o pecado.

 Hebreus 12.4

4 – Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue.

Diga não às suas vontades pecaminosas!

2º Prego – SEGUIR: v.34 “tome a sua cruz e siga-me”.

O segundo prego representa o discipulado. Ao seguirmos Jesus estamos indo na mesma direção que Cristo rumo ao calvário. Muitos querem seguir pessoas famosas e bem sucedidas. Mas seguir a um condenado rumo à crucificação é algo difícil de se fazer e que poucos fariam. Contudo Jesus foi à nossa frente levando o peso dos nossos pecados, nos prestando um favor imerecido.

Isaías 53:3-5.

3- Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima.

4- Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças, contudo nós o consideramos castigado por Deus, por ele atingido e afligido.

5- Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados.

Seguir significa repetir os mesmos atos. Ir à mesma direção. Ao seguirmos Jesus, estamos deixando de ir para onde queremos, para irmos onde Jesus está, conforme está escrito em (I João 2.6).

1 João 2:6

6- aquele que afirma que permanece nele, deve andar como ele andou.


Siga o exemplo Cristo em tudo que fizer!

A terceira martelada é uma das mais dolorosas. Estamos acostumados a ganhar e receber. Ninguém gosta de perder. Por isso dói tanto quando passamos pela cruz nas perdas da vida. Contudo é preciso perder para ganhar conforme (Filipenses 2.7-9).

3º Prego – PERDER: v.35,36 mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará”.

Filipenses 2:7-9

7- mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.
8- E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!

9- Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome.


A mão perfurada pelo prego da perda não tem forças para segurar suas opiniões e desejos. Este prego nos faz sentir incapazes de pegar qualquer coisa, com a mão vazada tudo se escorre pelas feridas. Assim nos sentimos quando perdemos.

Quando passamos pela crucificação abrindo mão de qualquer coisa em prol de nossa fé em Jesus ficamos presos à cruz como Cristo estava. Mas é neste momento que nossos braços estão abertos para Deus (Colossenses 2.12).

Colossenses 2:12

Isso aconteceu quando vocês foram sepultados com ele no batismo, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.


Não importa o que você perdeu e sim o que ganhará na ressurreição veja (I Coríntios 4.14).

1 Coríntios 4:14

Não estou tentando envergonhá-los ao escrever estas coisas, mas procuro adverti-los, como a meus filhos amados.

Para ganhar é preciso perder!

Os pregos na cruz não seriam suficientes para prender Jesus, nem mesmo para mata-lo. O que o prendeu ali foi o seu amor pelas almas, que o fez morrer voluntariamente por nós (João 10.17-18).

João 10:17,18

17- Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la.

18- Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade.Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai”


O que nos prende à cruz são estes ‘pregos’ do negar a si mesmo, do seguir a Cristo e perder as coisas do mundo. Toda vez que passamos por estas coisas ficamos mais presos à nossa cruz. Embora na cruz não conseguimos fazer nada, isso é ótimo, porque então Deus realiza tudo em nós.

Tenham todos uma semana abençoada, em nome de Jesus.

Pr. Luiz Carlos Costa

Pr. Luiz Carlos Costa

Pr. Luiz Carlos Costa

Graduado no Centro de Treinamento Bíblico RHEMA BRASIL, Graduado pela Faculdade Teológica Nacional nos cursos: Formação Pastoral, Capelania e Conselho Pastoral Cristão. Membro do Conselho de Pastores do Brasil e Líder do Ministério de Música da Igreja Verbo da Vida Patos-PB.

Qual a sua opinião sobre assunto?

© 2015-2018 CSS Notícias | Desenvolvido por EA Soluções

%d blogueiros gostam disto: