FUNDAP, desmente informações de músico da Filarmônica 26 de Julho

A Fundação Cultural de Patos vêm a público esclarecer informações inverídicas à cerca das condições da Filarmônica 26 de Julho, publicada por Patosonline em 22/11/2018 (http://patosonline.com/post.php?codigo=69252).

Inicialmente, é preciso ressaltar que a FUNDAP reconhece a importância da Filarmônica 26 de Julho, considerando-a um dos maiores patrimônios culturais da cidade de Patos. Portanto, assegura que em nenhum momento deixou de ouvir as reivindicações dos músicos e que tem trabalhado, dentro das possibilidades econômicas do município, para atender as demandas solicitadas.

No início de novembro, dia 09, houve uma reunião com Secretaria de Administração do município onde foram esclarecidos pontos administrativos relacionados às atribuições dos músicos, como carga horária, frequência e manutenção dos equipamentos e local de trabalho. Dentre as informações repassadas, ficou enfatizado que, como servidores do município, devem cumprir normas que atendam as demandas direcionadas aos cargos que exercem. 

Cabendo a FUNDAP, nesse caso, o agendamento de apresentações, o registro de frequência, a organização e manutenção do espaço de trabalho e equipamento. Além disso, a Fundação tem desenvolvido projetos que buscam dar visibilidade a banda e a coloquem na Agenda Cultural do município, a exemplo do Projeto Sextas Musicais.

Sobre o agendamento de apresentações, quando a Filarmônica é solicitada, cabe ao requerente o translado e, dependendo da distância, fornecimento de alimentação.

Sobre o suposto descaso apontado ao site Patosonline.com, quanto a manutenção de instrumentos e locais de armazenamento, a FUNDAP esclarece que os armários apontados nas fotos estão quebrados devido o último arrombamento do dia 26 de outubro, mas que a Fundação está desenvolvendo um projeto de construção de um espaço adequado dentro do Centro para o armazenamento do material da banda. 

Após o incidente, a FUNDAP decidiu por controlar o acesso às chaves do Centro de Cultura Amaury de Carvalho, que antes possuía inúmeras cópias entre os próprios músicos, desde outras gestões, que tinham acesso ao local e utilizavam como estacionamento de motos durante as tocadas. A chave está agora por responsabilidade da coordenação do Centro, do maestro da filarmônica e do regente do coral, com o objetivo de proteger o patrimônio público que é da população e de toda a classe cultural da cidade, além de impedir o deterioramento do mesmo. 

A FUNDAP ainda relembra que a sede da banda no Centro de Cultura Amaury de Carvalho foi escolhida de forma democrática por meio de votação dos músicos em fevereiro desse ano, que justificaram a relação histórica do ambiente com a banda, que havia sido outrora sede da Filarmônica, e em justificativa de uma melhor localização que desse visibilidade aos músicos. 

Mesmo com a agenda de exposições, o espaço tem abrigado prioritariamente a banda. Os ensaios gerais acontecem às segundas e sextas, e todos os dias pela manhã durante a semana estão reservados para os ensaios individuais, mesmo sendo de conhecimento da administração da FUNDAP que nem poucos participam dos horários de ensaios disponibilizados.

Sobre o fardamento dos músicos, houve em setembro a entrega de um fardamento completo, com traje de gala e traje social, atendendo a uma demanda solicitada pelos há mais 10 anos.

Ademais, a FUNDAP tem procurado preservar e valorizar a história da Filarmônica 26 de Julho. A Fundação não está alheia ao que acontece na Filarmônica, e tem acompanhado as decisões, ensaios, frequência, agenda e demandas de forma próxima através do maestro da banda, que é o representante máximo do grupo, e esse sistema de controle de atuação dos servidores infelizmente não tem agradado a alguns”.

*Fundação Cultural de Patos*

Qual sua opinião sobre este assunto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2015-2018 CSS Notícias | Desenvolvido por EA Soluções